DIFUSA FRONTEIRA - Núcleo de Integração Cultural Brasil-América Latina
.......





De Mestres e Donas:
Arte e Cultura Popular Brasileira


Artistas e artesãos de todo o país trazem saberes manuais típicos das regiões que habitam. Tais técnicas configuram muitas vezes uma forma de sobrevivência e resistência, como também se constituem como patrimônio artístico nacional.



RENDA RENASCENÇA – DO RISCO À PEÇA PRONTA
Helena Kussik e Maria Quitéria Alves da Silva


A renda renascença é uma técnica de construção têxtil de origem europeia, que encontrou no semiárido brasileiro um terreno fértil para seu florescimento. Os materiais básicos utilizados são o lacê e linha, agulha de mão e almofada de suporte. No curso pretende-se abordar com base na prática o potencial criativo atuante na repetição da técnica manual.

Helena Kussik é designer e pesquisadora de técnicas têxteis manuais. Graduada em design de moda com mestrado em Antropologia, pesquisou a Renda Renascença no Agreste Pernambucano, realizando um trabalho de campo na cidade de Jataúba – PE, onde aprendeu a técnica com as rendeiras locais. Maria Quitéria Alves da Silva é rendeira há 45 anos. Aprendeu a profissão com sua irmã mais velha que vivia em Pesqueira – PE, grande berço da renascença pernambucana.

Dias: 23 a 27/1. Terça a sábado, das 10h às 14h. Duração: 5 encontros.
Valores: R$ 40 / R$ 20 / R$ 12 | Acima de 16 anos.



BORDADO FILÉ
Instituto do Bordado Filé da Região das Lagoas Mundaú Manguaba (INBORDAL)


Difusão do Bordado Filé da Região das Lagoas Mundaú-Manguaba, fortalecendo e promovendo esse ofício tradicional que está registrado como Patrimônio Cultural Imaterial de Alagoas. Os participantes terão contato com as técnicas de tecer dos pontos do bordado utilizados na confecção de peças de filé.

Petrucia Ferreira Lopes é Graduada em Design de Interiores pelo Instituto Federal de Alagoas (IFAL), no ano de 2006. Atua na área de criação, modelagem, confecção e comercialização de peças em bordado de filé. Ministrou Oficina de Bordado de Filé na Fundação Bradesco, Escola de Maceió, em julho de 2011 e julho de 2013. Participação, como estilista convidada, das edições 2012/2013/2014 do evento Alagoas Trend House. Lucineide de Sena Ramos é artesã de bordado de filé. Ministrou Oficina de Bordado de Filé na Fundação Bradesco, Escola de Maceió, em maio de 2016 e julho de 2017.

Dias: 23 a 27/1. Terça a sábado, das 10h às 17h (1h de intervalo). Duração: 5 encontros.
Valor: R$ 40 / R$ 20 / R$ 12 | Acima de 16 anos.




CERÂMICA DO VALE DO JEQUITINHONHA
com Associação de Artesãos de Coqueiro Campo (MG)


A arte produzida no Vale do Jequitinhonha é a identidade da comunidade. Bonecas, pratos e bules fazem parte da produção. Cada artesanato é carregado de tradição, pois nele e´ depositado o cotidiano da comunidade com singularidade e visível valor cultural agregado. Cabe ressaltar também que toda matéria prima utilizada e´ retirada da região e de forma tradicional. A associação adquiriu parte do terreno vizinho e de dois em dois anos se reúnem para extrair o barro. Utilizam uma retro escavadeira da prefeitura. Manualmente filtram o barro a ser utilizado para a modelagem e voltam a retirá-lo no período de dois anos tendo em vista a sustentabilidade da matéria prima. Cada artesã estoca em sua casa a quantidade igualmente dividida entre todos os associados.

Dias: 23 a 26/01. Terça a sexta, das 15h às 18h. Duração: 4 encontros.
Valor: R$ 40 / R$ 20 / R$ 12 | Acima de 16 anos.




PANELAS DE BARRO
com Berenicia Correa Nascimento, Eunete Alves Correa e Jecilene Correa Fernandes, da Associação das Paneleiras de Goiabeiras (ES)


Nesse curso os participantes terão contato com a produção artesanal das panelas de barro, um saber repassado de mãe para filha há várias gerações na região de Goiabeiras, Espírito Santo. A oficina ministrada pelas artesãs capixabas apresenta a fabricação das panelas adaptadas, em que os participantes aprenderão a modelar a argila, alpem de moldar e queimar sua própria panela.

A Associação das Paneleiras de Goiabeiras (ES) configura-se como um grupo de artesãs especializadas na confecção das panelas de barro. Ícone da identidade cultural do Espírito Santo, as panelas de Goiabeiras são produzidas conforme antiga tradição indígena. A atividade notadamente feminina é tradicionalmente repassada pelas paneleiras às suas filhas, netas, sobrinhas e vizinhas, no convívio doméstico e comunitário, onde saber fazer estas panelas de barro é o principal elemento formador da identidade cultural daquele grupo social.

Dias: 23 a 27/1. Terça a sábado,das 10h às 13h. Duração: 5 encontros.
Valores: R$ 40 / R$ 20 / R$ 12 | Acima de 16 anos.




ESCULTURAS BARROCAS
Orientação: Mestre Nicola (PE)


O curso apresenta a técnica desenvolvida por Mestre Nicola de esculpir figuras em madeira, inspiradas no trabalho de artistas barrocos, como Aleijadinho. Os alunos vão aprender a fazer cabeças imaginárias entalhadas, inspiradas em anjos e santos. Pré-requisito: conhecimentos básicos de entalhe.

Mestre Nicola é um escultor pernambucano especializado em entalhe na madeira e na pedra calcária. Dono de apuro técnico e de grande sensibilidade artística, suas esculturas se espalharam pelo Brasil e pelo exterior.

Datas/horário: 23 a 27/1. Terça a sábado, das 14h30 às 17h30. Duração: 5 encontros.
Valores: R$ 40 / R$ 20 / R$ 12 | Acima de 16 anos.




BANCOS EM MADEIRA COM ENTALHES
Orientação: Antonio Julião (MG)


A técnica de esculpir em madeira da cidade de Bichinhos (MG) será apresentada por Antônio Julião, responsável por perpetuar a tradição, que ministra a oficina ensinando a elaborar um banco de madeira entalhado, com imagens inspiradas em animais e elementos da natureza.

Antonio Julião é de uma família tradicional de artesãos de Minas Gerais. O pai produzia arreios de cavalo de madeira. a mãe modelava bichos com barro e cera de abelha para seus filhos brincarem quando crianças. Com formão em mãos, transforma uma tora de madeira de cedro em obra de arte. Animais e pássaros são temas recorrentes no trabalho do artista, que também usa sua obra como forma de protesto.

Dias: 23 a 27/1. Terça a sábado, das 14h30 às 17h30. Duração: 5 encontros.
Valores: R$ 40 / R$ 20 / R$ 12 | Acima de 16 anos.




BONECOS MAMULENGOS
Orientação: Miro dos Bonecos


A oficina, ministrada pelo artesão ‘Miro dos bonecos’ que ficou conhecido por sua técnica de confeccionar bonecos, propõe a construção de bonecos de mamulengos, tipo de fantoche típico do nordeste brasileiro.

Ermírio José da Silva, mais conhecido como Miro dos Bonecos é de Carpina, cidade que fica a 50km de Recife. A prendeu sozinho, aos 7 anos, o ofício que mais tarde daria notoriedade ao bonequeiro. Produz bonecos, mamulengos e engenhocas. Já participou de exposi ções em Pernambuco, Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e na França.

Dias: 23 a 27/1. Terça a sábado, das 10h às 13h. Duração: 5 encontros.
Valores: R$ 40 / R$ 20 / R$ 12 | Acima de 16 anos.




BOLSA DE COURO
Orientação: Irineu do Mestre


Peças em couro ornamentadas são tradicionais em vários estados do Brasil, em especial nas regiões sertanejas. Neste curso os alunos terão contato com o trabalho artesanal em couro para a confecção de uma bolsa em todas as etapas: corte, molde, costura, fechamento. Pré-requisito: saber costurar à mão.

Irineu José Barbosa, também conhecido como Irineu do Mestre , nasceu em 1966 no município de Salgueiro, Pernambuco. Começou na arte com apenas 6 anos, junto com seus pais. Fabrica roupas de vaqueiros e confeccionou a indumentária de couro de Zé Ramalho, Dominguinhos, Alceu Valença e Gilberto Gil e tem suas peças exportadas para outros países.

Dias: 23 a 27/1. Terça a sábado, das 10h às 14h. Duração: 5 encontros.
Valores: R$ 40 / R$ 20 / R$ 12 | Acima de 16 anos.




FOTOGRAFIA LAMBE-LAMBE
Orientação: Cássia Xavier e Gustavo Falqueiro


Os fotógrafos lambe-lambes ou “fotógrafos de jardim” eram encontrados nos parques, praças, festas e feiras populares, no século XIX, e foram responsáveis por disseminar a cultura do retrato para toda a população nas cidades, uma vez que as imagens ficavam prontas na hora e eram feitas a preços acessíveis. O curso tem como propósito apresentar esse tipo de fotografia como técnica e também como prática da memória social.

Cássia Xavier é bacharel em Fotografia pelo SENAC/SP. Atua na área de conservação e salvaguarda de materiais fotográficos. Pesquisadora sobre fotografia lambe-lmabe ligada ao Núcleo de Estudos de Imagem/USP. Gustavo Falqueiro é mestrando pelo IEB/USP, bacharel em Fotografia pelo SENAC/SP e graduado em Filosofia pela Universidade de São Paulo/USP. Atuou como docente em cursos de formação artística no Instituto Tomie Ohtake, pela Secretaria de Cultura de São Caetano do Sul e como educador no projeto Cidade Invertida.

Dias: 23 e 24/1. Terça e quarta, das 10h às 13h. Duração: 2 encontros de 3h cada.
Valores: R$ 40 / R$ 20 / R$ 12 | Acima de 16 anos.




XILOGRAVURA EM GRANDE FORMATO
Orientação: Santidio Pereira


O curso objetiva apresenta aos participantes a técnica de sobreposição de cores e a xilogravura em grande formato (80 x 118 cm). Além da técnica, serão abordadas obras de artistas referência no trabalho com xilogravura, e os alunos serão estimulados a pensar o desenho e a gravura pela ótica do espaço ampliado.

Santidio Pereira nasceu em Curral Comprido, povoado no estado do Piauí. Ainda pequeno sua mãe mudou-se para a cidade de São Paulo, onde ele teve contato com a arte, hoje destaca-se por seus trabalhos em xilogravura.

Dias: 24 a 27/1. Quarta a sábado, das 15h às 19h. Duração: 4 encontros.
Valores: R$ 40 / R$ 20 / R$ 12 | Acima de 16 anos.


Para mais informações: clique aqui





Voltar para página principal

Website por
.